A Crise Política no Peru

Presidente Pedro Castillo anuncia estado de emergência para tentar conter protestos.


Por Maria Eduarda Guzzo* e Leticia Cunha**

Fonte: Sebastian Castaneda / Reuters (editada)


A instabilidade política do Peru tem sido pauta nacional nos últimos anos. Nem mesmo a posse do atual presidente, Pedro Castillo, em julho de 2021, ajudou a amenizar a série de problemas que o governo vem enfrentando. Na realidade, a onda de protestos que tem se alastrado pelas principais cidades do país e a suspensão de direitos constitucionais provam justamente o contrário.


O aumento disparado nos preços do combustível em todo o mundo fez com que caminhoneiros peruanos decidissem entrar em greve no final do mês de março, realizando protestos e criando bloqueios nas principais rodovias do país. O que começou como uma mobilização dos motoristas nas estradas logo ganhou apoio de trabalhadores de outras áreas, como os agricultores, e se espalhou para a capital, Lima, e a província de Callao. Em uma tentativa de conter os manifestantes, o Governo convocou o exército para tentar liberar as estradas, o que acabou resultando em um alguns conflitos violentos que deixaram mais de 20 pessoas feridas.


Após a fracassada tentativa de amenizar a situação, Castillo decidiu, então, decretar toque de recolher e estado de emergência em ambas as províncias a partir de terça-feira, dia 5 de abril. A medida proíbe quase 10 milhões de habitantes de circular pela região, que foram pegos de surpresa, pois o anúncio foi feito de madrugada. O decreto suspendeu direitos constitucionais de liberdade e segurança pessoal e inviolabilidade do lar, segundo opositores.


A decisão teve efeito oposto, já que as manifestações seguiram acontecendo, e houve confronto entre policiais e manifestantes que marchavam em direção ao Congresso. Civis arremessaram objetos nos agentes, que responderam com gás lacrimogêneo. Sendo assim, Castillo suspendeu sua decisão e noticiou o fim da medida na tarde de terça-feira (05/04), que foi celebrado pelos manifestantes.


A insatisfação popular e a instabilidade política não são nada recentes, já que os dois presidentes anteriores sofreram processo de impeachment, Pedro Pablo Kuczynski, que caiu em 2018, e seu sucessor Martín Vizcarra, em 2020. O histórico da política peruana conta com impeachments, prisões dos ex-presidentes Alejandro Toledo e Ollanta Humala e o suicídio do ex-presidente Alan García, em 2019. Tais chefes de Estado peruanos estavam envolvidos no escândalo de corrupção da empresa Odebrecht.


Outro fator que contribuiu para a crise peruana foram os dias trágicos que o país viveu durante a pandemia do Covid-19, contando com poucos insumos e uma taxa de mortalidade de 200 mil pessoas, alta em relação ao número de contaminados. A tentativa de quarentena no Peru falhou, já que a maioria da população trabalha informalmente.


Essa onda de crises que se arrastam por anos e a instabilidade política que assombra o Peru está longe de um fim. Isso porque, em apenas oito meses de governo, Castillo já enfrentou dois pedidos de moção de destituição, o que demonstra a fragilidade de seu governo e a possibilidade que o presidente não termine seu mandato até 2026.



*Estudante do terceiro período diurno do curso de Relações Internacionais na Universidade Positivo (2022).

**Estudante do terceiro período noturno do curso de Relações Internacionais na Universidade Positivo (2022).


Referências:

ARANHA, Carla. Greve de caminhoneiros faz Peru decretar emergência – há risco no Brasil? 2022. Disponível em: https://exame.com/brasil/greve-de-caminhoneiros-faz-peru-decretar-emergencia-ha-risco-no-brasil/ . Acesso em: 17 abr. 2022.

BBC. Congresso do Peru rejeita 3º impeachment em 3 anos, mas crise continua. 2021. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-59569647 . Acesso em: 17 abr. 2022.

BBC. Governo do Peru suspende toque de recolher, mas protestos seguem em Lima. 2022. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-61004985.amp . Acesso em: 17 abr. 2022.

BBC. Por que governo do Peru decretou estado de emergência e suspendeu direitos após protestos. 2022. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-60999946 . Acesso em: 17 abr. 2022.

BBC. Congresso do Peru rejeita 3º impeachment em 3 anos, mas crise continua. 2022. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-59569647 . Acesso em: 17 abr. 2022.

FERREIRA, Lucas. Toque de recolher e impeachment: entenda a crise política no Peru. 2022. Disponível em: https://noticias.r7.com/internacional/toque-de-recolher-e-impeachment-entenda-a-crise-politica-no-peru-13042022 . Acesso em: 17 abr. 2022.

FIGUEIREDO, Danniel. Crise no Peru: o que está acontecendo? 2019. Disponível em: https://www.politize.com.br/crise-no-peru/ . Acesso em: 17 abr. 2022.

G1. Pedro Castillo é declarado presidente eleito do Peru mais de 1 mês após eleição presidencial. 2021. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/07/19/pedro-castillo-e-declarado-presidente-eleito-do-peru-mais-de-1-mes-apos-eleicao-presidencial.ghtml . Acesso em: 17 abr. 2022.

G1. Congresso do Peru rejeita impeachment de presidente Pedro Castillo. 2022. Disponível em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2022/03/29/congresso-do-peru-rejeita-impeachment-de-presidente-pedro-castillo.ghtml. Acesso em: 17 abr. 2022.

MINAS, Estado de. Castillo suspende toque de recolher em Lima após diálogo com o Congresso. 2022. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2022/04/06/interna_internacional,1358087/castillo-suspende-toque-de-recolher-em-lima-apos-dialogo-com-o-congresso.shtml . Acesso em: 17 abr. 2022.