Manifesto é assinado por 170 cientistas holandeses com o objetivo de alcançar um novo desenvolviment

Acadêmicos propõem uma profunda reestruturação econômica baseada no decrescimento

Por Luísa Osik Lehmann*

Crédito: Universiteit Leiden

Presenciamos a partir desta pandemia o emergir de um novo senso de normalidade em nossa sociedade. Cento e setenta acadêmicos de oito diferentes universidades holandesas, incluindo Wageningen, Leiden, Amsterdã, Utrecht e Roterdã, tomaram a iniciativa de elaborar um manifesto e assinaram uma lista com cinco proposições para um modelo de desenvolvimento pós Covid-19. Buscam endereçar essa pandemia e outras crises sociais e ambientais no futuro, acreditando que seria um erro se o mundo não ressurgisse da crise da Covid-19 de maneira “mais verde”.

Junto ao manifesto, o Professor Assistente do Instituto de Antropologia Cultural e Sociologia do Desenvolvimento na Universidade de Leiden, Andrew Littlejohn, escreve que “agora mesmo, muitos podem ler artigos contra a ‘politização’ do coronavírus, as pessoas que os escrevem têm o desejo de recomeçar a economia pré-pandemia. No entanto, estudiosos das várias disciplinas de ciências naturais, ciências sociais e humanidades têm demonstrado que a Covid-19, na verdade, diagnosticou as falhas letais nessa economia. Não é ‘politização’ apontar que precisamos de novos paradigmas econômicos, se estamos fazendo isso justamente para evitar tanto outras pandemias quanto a catástrofe iminente das mudanças climáticas em todo o mundo. E é por isso que eu assinei o manifesto” (tradução nossa)¹.

O novo coronavírus já gerou um enorme impacto na economia, ancorada em um modelo de desenvolvimento neoliberal dominante nos últimos 30 anos, que parece demonstrar instabilidade. Tal modelo demanda expansão e exploração crescentes, apesar dos incontáveis problemas ecológicos e desigualdades que gera. Outra fraqueza deste é a ligação entre o desenvolvimento e a exploração da biodiversidade. Especialistas afirmam que, se a degradação dos ecossistemas continuar a aumentar, há uma chance maior de novos e mais poderosos surtos de outros vírus acontecerem.

A partir dessas e de outras análises, os acadêmicos que assinaram o manifesto tiveram como objetivo resumir políticas estratégicas bem-sucedidas para seguir em frente após uma crise. Assim, moldaram as cinco propostas apresentadas abaixo:

“1- Afastar-se do desenvolvimento focado no crescimento agregado do PIB para começar a olhar outros setores que podem crescer e requerem investimentos (saúde, educação, energias limpas) e os setores que devem ser descontinuados (petróleo, mineração, publicidade)” (tradução nossa);

“2- Focar em uma nova estrutura econômica de redistribuição, estabelecendo uma renda básica universal, sistema universal de serviços públicos, horários de trabalho reduzido e trabalhos compartilhados” (tradução nossa);

“3- Transformação agrícola em direção à agricultura regenerativa, que vise propriamente à conservação da biodiversidade sustentável e baseada na produção local e vegetariana com condições de pleno emprego e salário justos” (tradução nossa);

“4- Mirando encerrar a cultura do consumismo exacerbado, pôr incentivo à redução de consumo de viagens luxuosas por viagens mais básicas e necessárias” (tradução nossa);

“5- Cancelamento das dívidas, principalmente dos trabalhadores e donos de pequenos negócios (tanto a dívida a países como a instituições financeiras internacionais)” (tradução nossa)².

Os acadêmicos acreditam, e deixam claro, que essas propostas podem levar a uma sociedade mais igualitária, sustentável e diversa, baseada em solidariedade internacional. Buscam assegurar que, assim, uma crise futura será menos severa, causará menos sofrimento e impactos ou, até mesmo, nem virá a acontecer se as medidas forem adotadas.

* Aluna do primeiro ano diurno do curso de Relações Internacionais na Universidade Positivo (2020).

Referências

¹ Universiteit Leiden. 170 scientists sign manifesto. https://www.universiteitleiden.nl/en/news/2020/04/170-scientists-sign-manifesto

² Universiteit Leiden. Planning for Post-Corona: Five proposals to craft a radically more sustainable and equal world. https://www.universiteitleiden.nl/binaries/content/assets/sociale-wetenschappen/ca-os/planning-for-post-corona—en.pdf

AZEVEDO, Wagner Fernandes de. Holandeses avançam no cenário pós-pandemia e propõem um modelo econômico baseado no decrescimento. http://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/598464-holandeses-avancam-no-cenario-pos-pandemia-e-propoem-um-modelo-economico-baseado-no-decrescimento

El Clarín de Chile. Holandeses avanzan en el escenario pospandemia y proponen un modelo económico basado en el decrecimiento. https://www.elclarin.cl/2020/04/23/holandeses-avanzan-en-el-escenario-pospandemia-y-proponen-un-modelo-economico-basado-en-el-decrecimiento/?fbclid=IwAR0NhdleAC8maumDWY0ZlOh02kT9SZR30SoVMcuKnmbLEvvZDFo9V39FFB8

STRAVER, Frank. Manifest van 170 wetenschappers: het is een blunder als we niet groener uit de coronacrisis komen. https://www.trouw.nl/duurzaamheid-natuur/manifest-van-170-wetenschappers-het-is-een-blunder-als-we-niet-groener-uit-de-coronacrisis-komen~b12864df/?referer=https%3A%2F%2Fwww.google.com%2F

#Atualidades #Covid19 #EconomiaInternacional #MeioAmbiente